A pandemia global, a guerra na Ucrânia, as crises geoeconômicas e as mudanças climáticas: esses foram os principais temas discutidos durante o Fórum Econômico Mundial (FEM), conhecido por suas reuniões anuais em Davos, Suíça. Para comentar a participação do Brasil no evento e os principais destaques da semana, convidamos neste episódio, nossos consultores Bernardo Nigri, Carlos Müller, Lucas Fernandes e Raquel Alves.

Após dois anos de pandemia, o evento foi realizado presencialmente e reuniu líderes políticos, empresariais, culturais e sociais para discutirem questões globais e encontrarem soluções para os desafios mais urgentes. O Brasil mais uma vez foi representado pelo ministro da Economia, Paulo Guedes, que afirmou ter percebido um clima menos hostil com a delegação brasileira em comparação com a edição de 2019, quando foi questionado sobre as políticas ambientais do Brasil. Durante um painel sobre como gerenciar a dívida pública global, o ministro falou sobre a agenda de reformas do Brasil, inflação, a acessão do Brasil à OCDE, e afirmou que o país está pronto para receber investimentos em energia limpa. Nossos especialistas comentam o saldo do evento para o governo brasileiro e os próximos desafios.

Enquanto isso, a política nacional gira em torno das Eleições de 2022. A terceira via, formada pelos partidos MDB, PSDB e Cidadania, continua em um impasse sobre a candidatura única. Nesta semana, o ex-governador de São Paulo, João Doria (PSDB), anunciou oficialmente sua desistência na corrida presidencial. Ele havia ganhado as prévias tucanas, mas com a união dos três partidos, perdeu apoio para lançar sua pré-candidatura. Agora, apesar de ser apontada como principal opção, a senadora Simone Tebet (MDB) precisa conquistar mais eleitores já que, segundo algumas pesquisas de intenção de votos, apresenta um baixo desempenho.

Por fim, analisamos as negociações em torno das eleições da Mesa Diretora da Câmara dos Deputados, que ocorreram nesta semana. A 1ª vice-presidência ficou com o deputado Lincoln Portela (PL-MG); a 2ª Secretaria com o PT, que indicou o deputado Odair Cunha (PT-MG); e a vaga de 3º secretário foi ocupada pela deputada Geovania de Sá (PSDB-SC). Você vai entender como foram as negociações entre os deputados e os partidos para a votação e como essa nova formação vai impactar as próximas discussões na Casa. Além disso, nossos especialistas comentam as pautas mais relevantes no Congresso essa semana, como o Projeto de Lei Complementar (PLP) 18/22, que prevê um teto de 17% para o ICMS dos combustíveis e da energia elétrica.

Confira os destaques da semana em nosso episódio!

Leave a Reply