Nos últimos meses, o debate sobre energia tomou um posto central no cenário político, econômico e social do Brasil. O país passa por uma crise hídrica sem precedentes, que está abalando a segurança energética e aumentando vertiginosamente as tarifas de luz. Aliado a esse aspecto, vivemos uma disparada dos preços dos combustíveis, que tem relação direta com a inflação e com a instabilidade social. Nesse contexto de crise, o governo é confrontado com a necessidade de ampliar e diversificar as fontes energéticas para garantir que não falte luz para a população.

O BMJ Entrevista recebe Ricardo Baitelo, Coordenador de Projetos no Instituto de Energia e Meio Ambiente (IEMA), para conversar sobre a situação energética do Brasil e analisar o que a delegação brasileira vai apresentar durante a COP26, a conferência mundial sobre o clima organizada pela ONU que está ocorrendo em Glasgow, na Escócia. No encontro, o Brasil pretende anunciar uma meta mais ambiciosa para zerar a emissão de carbono. Paradoxalmente, para combater a escassez energética em 2021, o País ampliou o uso das termelétricas, uma fonte de geração mais cara e muito mais poluente. No episódio, saiba também sobre os avanços no uso e na regulação de fontes alternativas de energia na matriz brasileira, como a solar e a eólica, que podem ser uma das saídas da crise. Participam deste episódio os consultores Débora Jacintho, Leon Norking Rangel e Vinícius Teixeira.

Leave a Reply