Diálogos BMJ – MERCOSUL

Com a saída da Argentina das negociações do Mercado Comum do Sul (MERCOSUL), com exceção dos já fechados com a União Europeia e a Associação Europeia de Livre-Comércio (EFTA), muitas questões foram levantadas, principalmente sobre quais serão as consequências para o Bloco e para economia do Brasil. Neste episódio, reunimos um time de peso para falar sobre o assunto. Nosso CEO Wagner Parente conversa com Welber Barral, sócio-fundador da BMJ, Abrão Neto, ex-Secretário de Comércio Exterior do Brasil e atual Vice-Presidente Executivo da Amcham-Brasil; Evaristo Pinheiro, sócio do Barral Parente Pinheiro Advogados, Fabrizio Panzini, Gerente de Negociações Internacionais da Confederação Nacional da Indústria (CNI); e José Luiz Pimenta Júnior, Gerente de Acesso a Mercados da Associação Brasileira de Proteína Animal (ABPA). Barral comenta sua preocupação com as relações de confiança entre os países. “O que é triste nessa história toda é que é justamente a desconfiança que persiste hoje, a má vontade bilateral acabou levando a uma situação de fragilização institucional do MERCOSUL. É triste porque é o único grupo de integração do qual o Brasil participou com mais afinco nos últimos 30 anos”, lamenta. Nossos convidados também analisam a atual situação política e econômica da Argentina, as vantagens e desvantagens dessa saída para o Brasil, a reação do governo brasileiro sobre a notícia, os acordos bilaterais entre os países, os impactos e riscos para a relações de importação e para o Setor Privado e as previsões para a união aduaneira do Bloco, entre outros assuntos.

Anterior

Próximo