Encerramos nossa série de perspectivas para 2022 com o nosso time de Análise Política falando sobre as áreas de Economia, Sustentabilidade, Governo Federal e previsões para as Eleições de 2022. Para comentar esses assuntos, participam neste episódio os consultores Débora Jacintho, Eduardo Martins, Érico Oyama e nosso coordenador de Análise Política, Lucas Fernandes.

Na pauta econômica, o ano de 2022 deve trazer recessão e grande queda nos níveis de crescimento do Brasil. A inflação continuará sendo um dos principais problemas para o bolso dos consumidores, já que a manobra de elevação de juros, segundo nossos especialistas, não deve conter os níveis. Isso se deve porque a inflação esperada é consequência das crises de desabastecimento, energética, e climática do ano passado, e esse valor deve ser repassado para o consumidor final.

O cenário político também não será favorável para o governo, que tem como desafios a PEC dos Combustíveis e a crise fabricada de reajuste dos servidores. A revisão na tabela de Imposto de Renda deve ser a única coisa a caminhar dentro da Reforma Tributária. Apesar disso, a agenda de atividades do governo deve ser intensificada visando a reeleição do Presidente Jair Bolsonaro. Alguns ministros também devem sair das pastas para trabalhar em suas campanhas eleitorais, como Tereza Cristina (Agricultura), Fábio Faria (Comunicações), Flavia Arruda (SEGOV) e Marcelo Queiroga (Saúde).

Você vai conferir também como estão as negociações partidárias para fechar as chapas e candidaturas dos presidenciáveis. Os vices ganham destaque e devem ser fundamentais para o sucesso das candidaturas. O Presidente Jair Bolsonaro ainda procura seu candidato e as expectativas são de que o ex-presidente Lula feche com Geraldo Alckmin. Saiba também como está o cenário na terceira via, que está dividida nas pesquisas de intenção de votos e terá muita dificuldade de viabilizar um candidato com chances reais de disputar com Bolsonaro e Lula.

Fechando nosso episódio, nossos consultores analisam os possíveis cenários com as Eleições e as consequências para a agenda de sustentabilidade do país. A preocupação vem à tona pois o Brasil enfrenta muita dificuldade em suas relações internacionais devido às falhas nas pautas ambientais. A Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE) abriu as portas para o Brasil este ano, mas cobrou metas e ações climáticas mais ambiciosas.

Ouça nossa perspectiva para conferir os principais desdobramentos esperados em 2022.

Leave a Reply